fbpx
Circuito

Conselho promove debate sobre responsabilidade técnica em obras e reformas

conselho-promove-debate-sobre-responsabilidade-tecnica-em-obras-e-reformas

2º Seminário Arquitetura x Condomínios será transmitido via Skype na próxima quinta-feira, dia 23, com a parceria do SIPCES

No início da semana, mais um acidente envolvendo obras irregulares virou notícia no Espírito Santo: parte de uma casa desabou em Serra Dourada III, em Serra. A parede do segundo andar do prédio, que estava em construção, caiu em cima de um toldo. Por sorte, apenas um homem teve ferimentos leves. Diante desta realidade, o Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Espírito Santo (CAU/ES) reforça a necessidade de um profissional habilitado acompanhando a execução de obras e reformas para garantia da segurança da população e promove o 2° Seminário Arquitetura X Condomínios no dia 23 de julho, às 14h, via Skype, com o tema “Aplicação da NBR 16.280/2015 sobre obras e reformas em condomínios”. O evento on-line é direcionado para síndicos e administradoras de condomínio, responsáveis pelas obras e reformas em prédios e condomínios.

Liane Destefani – presidente do CAU/ES

“A realização de obras de reforma é um tema muito sensível e importante, visto que pode comprometer a estrutura do empreendimento dependendo do porte da obra. Daí a necessidade de um profissional habilitado para fazer todo o planejamento e acompanhamento da realização da reforma. A NBR 16.280 tem força de lei podendo, inclusive, o administrador ou síndico ser indiciado criminalmente como corresponsável em casos de acidentes”, explica Liane Destefani, presidente do CAU/ES.

O seminário contará com a participação da gerente Técnica do Conselho, Juliana Grillo, e do presidente do Sindicato Patronal dos Condomínios (SIPCES), Gedaias Freire da Costa. Vale destacar que a NBR 16.280 considera como reforma qualquer alteração nas condições da edificação, visando recuperar, melhorar ou ampliar suas condições de habitabilidade e segurança, e que não seja manutenção. Lembrando que mesmo reformas consideradas simples requerem a apresentação de um Registro de Responsabilidade Técnica (RRT), emitido por um arquiteto; ou Anotação de Responsabilidade Técnica (ART), quando o profissional é um engenheiro.

“Pequenas reformas como a mudança de lugar de torneiras, tomadas ou chuveiro, troca de revestimento (piso, quando utilizados ferramentas como marretas), abertura de porta e envidraçamento de varandas; até obras mais complexas como instalação de ar-condicionado, reforma ou instalação de equipamentos de automação e alterações estruturais no apartamento, entre outros, exigem a participação de um profissional habilitado”, explica a presidente da entidade.

Serviço
2° Seminário Arquitetura X Condomínios
Dia 23 de julho, às 14h
Contatos: (27) 3224-4850 | atendimento@caues.gov.br

Comentários

0 Comentários
Compartilhe

Marcia Lima

Gostou do artigo? Deixe aqui seu comentário.

%d blogueiros gostam disto: